SACA SÓ I 

 RUA FLORÊNCIO DE ABREU | SP 

FICHA TÉCNICA
  • Projeto: Urb-i + La Galeria de Magdalena 

  • Status: Implementado - 2016 maio 

  • Local: Rua Florêncio de Abreu, São Paulo, Brasil

  • Equipe :  Carolina Guido, Reichel Congosto, Isabela Arenas, Fernanda Mercês, Henrique Vital, Paulo Franco, Rimas Inoar , Jamilah Sabur, Yuval Fogelson

  • Parceiros: La Galeria de Magdalena, Vital Paisagismo, Estúdio Lamina

PROJETOS

A IDÉIA

O projeto Saca Só nasceu da nossa vontade de transformar a cidade em que vivemos. Nas nossas caminhadas pelo google streetview identificamos vários pontos de oportunidade: espaços públicos subutilizados e que poderiam ganhar uma nova vida e dinâmica com um pouco de tinta e boa vontade.

 

Nossa proposta com esse projeto é chamar a atenção para os lugares “invisíveis” e provocar a sociedade a refletir sobre a construção do espaço público. Queremos inspirar as pessoas para que elas próprias ajudem a transformar, com ideias simples e de baixo custo, a cidade onde vivem.

PROJETO

A equipe da Urb-i encontrou um lugar perfeito para fazer a primeira intervenção do Saca Só: Um cantinho sujo e feio na rua Florêncio de Abreu, bem ao lado do Shopping 25 de Março. Contamos com a ajuda do coletivo espanhol La Galeria de Magdalena para iniciar a transformação. Primeiro lavamos bem o lugar com água e sabão. Durante a noite, as Magdalenas pintaram com tinta azul, mantendo o elemento urbano em uma das paredes.

 

No dia seguinte, contamos com a ajuda de mais gente para concluir a transformação. A população do entorno acompanhou as mudanças com uma certa desconfiança, mas logo compreendeu que nosso objetivo era melhorar o espaço. Ao final de um dia de trabalho, entregamos um novo ambiente para a cidade, com mobiliário, biblioteca, lixeira, plantas e pintura decorativa.

#sacaso p01
#sacaso p02
#sacaso p03
#sacaso p04
#sacaso p05
#sacaso p06
#sacaso p07
#sacaso p08
#sacaso p09
#sacaso p10
#sacaso p11
#sacaso p12
#sacaso p13
#sacaso p14
#sacaso p15
#sacaso p16
#sacaso p17
ACOMPANHAMENTO

O principal desafio desse tipo de transformação é encontrar quem fará a manutenção. No primeiro mês, a mini-praça foi observada diariamente pelo coletivo espanhol, que fez a manutenção e limpeza. A partir de então, a Urb-i passou a acompanhar uma vez por semana com a zeladoria e observação da dinâmica. 

 

Nosso trabalho durou cerca de um mês e após esse período deixamos que a própria comunidade do entorno fizesse a gestão do espaço. A falta de envolvimento das pessoas ficou clara com o passar do tempo. Sem alguém para cuidar, o local começou a se degradar rapidamente e a sujeira logo espantou os frequentadores.

 

Nove meses depois da intervenção, o comércio ao lado resolveu cercar o espaço com grades e acabar com o sonho de instalar uma pracinha em uma região tão carente desse tipo de ambiente. Nossa primeira intervenção no espaço público foi um grande processo de aprendizado. Aprendemos que a falta de comunicação e o não envolvimento da sociedade na transformação dos espaços pode gerar o efeito contrário. A experiência é contínua - com falhas e sucessos - parte da construção de uma nova lógica em que se valorizam as pessoas.

IMG_5668
IMG_5673
20170531_143207
20170531_143239
20170914_114600
VÍDEO RESUMO SACA SÓ I + SACA SÓ II