FICHA TÉCNICA
  • Realização:  ANTP

  • Projeto: Urb-i

  • Status: Intervenção interna, intervenção externa, oficina microacessibilidade  - junho 2017

  • Local: Centro eventos Pro Magno, Casa Verde, São Paulo, Brasil

  • Equipe Urb-i + Colaboradores: Carolina Guido, Paulo Franco, Yuval Fogelson, Giovanna Paludetti , Herika Klafke, Henrique Vital

  • Parceria: ANTP, Bradesco Seguros, Mobilab, Companhia de Engenharia de Tráfego/SP, Centro de Educação da CET/SP

PROJETOS

O EVENTO

O trabalho começou em março de 2017, quando a Urb-i foi convidada pela Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP) para simular um espaço público dentro do 21º Congresso da entidade e destacar o tema mobilidade ativa. Um desafio e tanto para quem nunca tinha feito algo parecido em um ambiente fechado, em meio a stands e salas de conferência tradicionais. Topamos e ainda fechamos um pacote para o evento: Além da área de convivência interna, faríamos uma intervenção na parte de fora e uma oficina sobre microacessibilidade.

Foram quase três meses de preparo até a abertura do Congresso, no dia 28 de junho. Graças ao apoio de vários parceiros, o resultado final foi uma instalação didática e um lounge para a permanência das pessoas durante a intensa programação de palestras e debates. A ANTP acertou em dedicar 30% da programação do evento à mobilidade ativa, cuja maioria das organizações é representada por mulheres, e abrir espaço para dezenas de entidades do Brasil inteiro trocarem conhecimento sobre o tema.

Ficamos muito felizes em participar do 21º Congresso da ANTP e contribuir na democratização do urbanismo, um dos objetivos da Urb-i. Agradecemos a todos que, de alguma forma, colaboraram para tirar nossas ideias do papel!

Video: Mova-Se

INTERVENÇÃO INTERNA "ANTES E DEPOIS"
 
6
7
11
16
15
8
10
9
IMG_0278
14
13
12
PLANTA CONGRESSO-crop
20170627_175440
IMG-20170626-WA0017

O ponto de partida do projeto foi simular dois ambientes diferentes encontrados em qualquer cidade do Brasil. Demonstramos como é possível fazer grandes mudanças de percepção de forma simples, com elementos leves e de baixo custo:

  1. Simulamos uma calçada estreita e cheia de obstáculos - para isso utilizamos fitas e adesivos colados no chão demarcando o espaço e mostrando, de forma lúdica, elementos que atrapalham a caminhada (buraco, poste, placas, lixo, canteiros mal planejados), guiados por pisadas fazendo o percurso.

  2. Projetamos uma pracinha agradável para a permanência de todos - para isso utilizamos cadeiras de praia e de madeira, mesas, pallets, bancos feitos de blocos de concreto e caibros de madeira, além de muita vegetação e grama sintética. Também foram espalhados totens carregadores de celular e laptops. Os ambientes ficaram cheios o tempo todo, inclusive para aquela cochilada depois do almoço!

Para mostrar aos congressistas que as mudanças são possíveis e já são uma tendência mundial, uma galeria de imagens do nosso projeto antes|depois foi montada ao lado da área de convivência.

 
ROTA CAMINHÁVEL NA AVENIDA IDA KOLB
4
3
20170627_125531
2
5
22
19
24
1
ROTA 01
ROTA 02
ROTA 03

Nosso objetivo foi provocar uma reflexão desde a chegada ao centro de eventos Pro Magno, na zona norte da capital paulista, que não possui um acesso adequado aos pedestres. Na entrada pela avenida professora Ida Kolb, algumas vagas de um bolsão de estacionamento foram transformadas em um calçadão para que as pessoas pudessem caminhar com segurança e conforto. Pintamos uma faixa de pedestres temporária para conectar essa rota caminhável ao ponto de ônibus da avenida Ordem e Progresso. A área foi muito utilizada por quem chegou a pé, de transporte público ou de bike, junto com os bondes a pé que o pessoal do Corrida Amiga organizou.

 
OFICINA SOBRE MICROACESSIBILIDADE
IMG_0228
17b
17a
IMG-20170629-WA0034
IMG-20170629-WA0037
IMG_0240
18
19
20
21
23
22
24

No segundo dia de congresso realizamos uma oficina com o tema "Microacessibilidade - estratégias para a priorização do pedestre no espaço público". Diante de um auditório cheio, mostramos como exemplo nosso projeto para o entorno da estação Berrini da CPTM, que atualmente está em fase de aprovação na CET para uma primeira fase de implantação. Abordamos o urbanismo tático como forma de transformar espaços gradualmente, com custo baixo e com participação da população.

Depois da apresentação interna, fomos colocar a mão na massa com os participantes na entrada do evento, junto à rota caminhável. Criamos uma pequena área de convivência com plantas, grama sintética, cadeiras e guarda-sóis. Aproveitamos para bater um papo sobre a utilização de espaços públicos e refletir sobre a situação atual dos mesmos. Observamos, na prática, como um dia de sol forte pode incomodar se não houver vegetação e sombreamento, por exemplo. Debatemos formas de se transformar a cidade em um lugar mais agradável e seguro para todos.