RUA JOEL CARLOS BORGES 

 FASE TEMPORÁRIA | BERRINI | SP 

FICHA TÉCNICA
  • Projeto: Urb-i : Carolina Guido, Fernanda Mercês, Rodolfo Macedo, Yuval Fogelson

  • Execução: CET, Secretaria de Mobilidade e Transportes, Prefeitura Regional de Pinheiros

  • Parceiros: WRI Brasil, Frente Nacional de Prefeitos (FNP), Caronetas, Virada da Mobilidade, Tintas Indutil e Dow

  • Local: Rua Joel Carlos Borges, Estação Berrini, Brooklin, São Paulo

  • Status: Intervenção temporária executada – Set. 2017

  • Equipe Urb-i: Carolina Guido, Paulo Carmagnani Franco e Yuval Fogelson

  • Colaboradores Urb-i - medição e pesquisa: Ana Sofia Póvoa, Augusto Lotufo de Assis, Bastien Alcaraz, Daisy Pinato, Deise Barp, Giovanna Paludetti, Jessica Alves, Karina Salgado, Larissa Gomes e Letícia Or

PROJETOS

(esta página)

CONCURSO 3 ESTAÇÕES

ESTAÇÃO BERRINI

12 / 2014

DIA MUNDIAL SEM CARROS 2016

VIRADA DA MOBILIDADE

09 / 2016

IMPLANTAÇÃO FASE TEMPORÁRIA RUA JOEL CARLOS BORGES

09 / 2017

05 / 2015

Visita técnica Nova York

08 / 2016

Apresentação sub-prefeitura Pinheiro / WRI Brasil

04 / 2017

Entrega relatório para aprovação

09 / 2017

Dia Mundial sem carros 2017

08 / 2017

Workshop de financiamento Ruas Completas

WRI Brasil

07 / 2017

Aprovação projeto CET

 O Projeto 

A intervenção temporária na rua Joel Carlos Borges, que dá acesso à estação Berrini da CPTM, ampliou em 70% a área destinada aos pedestres nessa via. O alargamento das calçadas com pintura no asfalto reorganizou o espaço público e diminuiu consideravelmente o conflito entre veículos e pessoas a pé. Foram criadas duas novas faixas de travessia – uma na rua Joel e outra na Sansão Alves dos Santos.

Justificativas não faltam para a implantação desta etapa: Em contagem feita pela Urb-i com ajuda de colaboradores no dia 28 de setembro de 2017, identificamos cerca de 4.700 pedestres na rua Joel durante o pico da manhã (entre 7h e 9h30) e apenas 170 veículos, uma média de 28 pedestres para cada carro.  No entanto, as calçadas estreitas e cheias de obstáculos não eram suficientes para atender a essa demanda. Antes da intervenção as pessoas caminhavam de maneira insegura no meio da rua, entre carros estacionados e em movimento.

A etapa temporária tem por objetivo testar as transformações com materiais leves e de baixo custo antes de realizar obras mais caras e complexas, como aterramento da fiação, alargamento das calçadas e adequação da drenagem. A Urb-i está fazendo pesquisas de percepção com pedestres, comerciantes e moradores para avaliar os resultados e a necessidade de ajustes.

O projeto prevê melhorias em outras vias da região, mas a transformação começou pela rua Joel Carlos Borges por estar ao lado da estação Berrini. Acreditamos que esse pode ser o princípio de uma política pública para melhorar o acesso à estações de transporte coletivo - quase todas com situação semelhante à da Berrini e impulsionar transformações em outras áreas que devem ser readequadas aos pedestres como entorno de escolas e hospitais.

antes - depois

fase 0
IMG-20170925-WA0013_edited

Histórico 

A Urb-i venceu o concurso 3 Estações, promovido pela WRI Brasil, no final de 2014. Desde então foram várias reuniões de apresentação, busca por parceiros e contatos com o poder público. No início de 2017, a WRI conseguiu mostrar a proposta para o secretário de transportes da Prefeitura de São Paulo, que gostou da ideia e pediu para encaminharmos à Companhia de Engenharia de Tráfego.

Fizemos então o projeto básico e um relatório com as justificativas e protocolamos na CET. Em julho veio resposta positiva dos técnicos e a partir daí saímos em busca de recursos. Um workshop realizado pela WRI Brasil em agosto reuniu gestores públicos para tentar encontrar formas de financiamento para as duas etapas de projeto.

A decisão de iniciar as obras foi tomada pela Prefeitura Regional de Pinheiros em conjunto com a Secretaria de Mobilidade e Transportes da capital. A tinta foi doada pela iniciativa privada e a CET entrou com a execução e materiais como balizadores e tachas refletivas.

 Galeria de imagens  25/09/2017 primeiro dia pos-inauguração

1
2
3
5
6
7
8

Implantação  

As obras começaram no dia 18 de setembro de 2017 e duraram menos de uma semana. Usando materiais leves, primeiro foram pintadas as áreas verdes para pedestres, depois instaladas as tachas refletivas (“olhos de gato”), os balizadores, algumas lixeiras e vasos previstas no projeto. Todos os acessos de veículos aos imóveis particulares foram mantidos e uma nova área para carga e descarga foi demarcada em frente aos restaurantes. A velocidade máxima para os veículos agora é de 20 km/h. 

O projeto da etapa temporária também prevê floreiras, bancos e um contêiner de lixo. A instalação desses equipamentos ainda depende de investimentos e superação de buracracias dos setores público ou privado. Outra mudança proposta é a derrubada do muro que bloqueia uma área pública para a criação de uma mini praça para o bairro com iluminação e mobiliário.

Após a implantação desta etapa, Urb-i iniciou uma análise do novo espaço através de pesquisas de percepção com pedestres, comerciantes e moradores para avaliar os resultados e a necessidade de ajustes ao longo do tempo. Estão sendo coletados  dados (já iniciada pela Urb-i) e a elaboração de um relatório com os primeiros resultados após um mês da implantação.

 Galeria de imagens  18-19/09/2017 implantação pintura

IMG_0797
IMG_0725
20170918_JOEL MANHA-04
20170918_JOEL MANHA-02
20170918_JOEL MANHA-01
IMG_0739
IMG_0845
IMG_0791
20170918_JOEL MANHA-06
20170918_JOEL MANHA-05
IMG_0910
IMG_0813
IMG_0900
20170918_JOEL MANHA-07
20170919_JOEL MANHA-04
20170919_JOEL MANHA-02
20170919_JOEL MANHA-01
20170919_JOEL MANHA-03
20170918_JOEL MANHA-08
20170919_JOEL MANHA-06
20170919_JOEL MANHA-05

Metodologia

Usamos o urbanismo tático para propor as melhorias na área do projeto. A metodologia, que já é usada em várias partes do mundo, ganhou força com as transformações no espaço público de Nova York, na década de 2010. A principal característica é a implantação por etapas: Efêmera, temporária e permanente.

As vantagens são:


- Baixo custo
- Menor chance de erro
- Envolvimento da sociedade
- Melhor custo/benefício
- Mudanças de pequeno porte e de grande impacto

Faseamento


ETAPA 1 – Efêmera

- 22 de setembro de 2016
- Evento com um dia de duração por iniciativa do Caronetas

A rua ficou aberta apenas para pedestres com atividades, comida de rua e pesquisa com frequentadores.

 

 

 


ETAPA 2 – Temporária

- Inaugurada em 23 de setembro de 2017
- Previsão de um a dois anos de duração
Calçada alargada com tinta no asfalto e demarcada com balizadores e vasos de plantas. Instalação de bancos, lixeiras, contêiner para a coleta de lixo dos restaurantes, área de carga e descarga, adequação de sinalização, entre outras melhorias. O ponto de taxi foi mantido, a área de carga e descarga ampliada e a velocidade máxima para os veículos é de 20 km/h. 



ETAPA 3 – Permanente

- Sem previsão de implantação

Obras perenes, como troca do piso, aterramento da fiação, adequação do sistema de drenagem, nova iluminação, faixas de pedestres, paisagismo, entre outras melhorias.

 Rua Joel Carlos Borges  etapas do projeto da Urb-i - Concurso 3 Estações 

fase 0
fase1
fase2
 

 Na mídia  artigos sobre o projeto da rua Joel Carlos Borges